top of page

Butão, o que esperar, quando ir, o que fazer

Atualizado: 28 de mar. de 2021


O Butão é um pioneiro global, a primeira nação do mundo a medir sistematicamente seu sucesso não pela força de sua economia, mas pela felicidade de seu povo. Essa abordagem única é adequada a um país diferente de qualquer outro - um reino montanhoso selvagem, espiritual e majestoso onde reina a tranquilidade e tudo está fora do caminho.


Quer os viajantes visitem no auge do verão, quando o Himalaia é atapetado com flores silvestres, ou nas profundezas do inverno, quando o céu de cobalto segue para paisagens estelares espetaculares o Butão é uma revelação o ano todo.

Entre o céu azul celeste, o verde das florestas, rios formados pelo degelo dos Hymalaias e incríveis monastérios dependurados nas rochas das montanhas, o Butão preserva seu estilo de vida baseado nas leis do budismo. O povo butanês ou drukpa, como é chamado, mantém-se fiel ao rei, reverenciando-o quase como a um Buda. Vestindo roupas tradicionais, recebem os poucos visitantes permitidos pelo governo com um misto de timidez e curiosidade infantil, apresentando com alegria sua preciosa cultura, resguardada por uma geografia dramática e inspiradora.

Vila de Gangtey

Um país pequeno cuja maior cidade, a capital Thimphu possui pouco mais de 100.000 habitantes. Paro onde está o único aeroporto internacional possui cerca de 12.000 habitantes.


Segue aqui algumas dicas e curiosidades para você se inspirar ou quem sabe lhe ajudar a planejar sua viagem ao Butão.

Não espere viajar livremente. O Butão não é um destino econômico ou um lugar para o estilo mochileiro. Ele só começou a se abrir para estranhos na década de 1970 e ainda guarda de perto seu patrimônio e ecologia ao restringir o turismo. A viagem deve ser organizada por meio de agências aprovadas pelo governo e paga integralmente antes de você obter um visto.


Guias turísticos bem treinados, usando o tradicional gho, ou seu equivalente feminino kira, estarão ao seu lado o tempo todo, oferecendo informações úteis sobre religião, cultura e tudo o que você quiser saber sobre o Butão, desde que não seja controverso. A maioria dos guias desviam os visitantes de qualquer discussão sobre a "influência ocidental" que possa complicar a narrativa oficial do conselho de turismo sobre o status de Shangri-La do Butão. Embora a maioria dos butaneses discuta com seus conterrâneos as expectativas irrealistas que a Felicidade Nacional Bruta - o índice de desenvolvimento nacional baseado em valores espirituais - impõe às pessoas, eles provavelmente não vão falar mal disso na frente de estrangeiros. No seu último dia, é comum dar uma gorjeta ao guia - cerca de US $ 15-20 para cada dia gasto com eles.

Adoramos trabalhar com os hotéis da Aman Resorts porque eles possuem uma proposta alinhada ao bem-estar do corpo, mente e espírito. Possuem todo conforto, cuidado e exclusividade que buscamos numa viagem como essa, além de estarem integrados à comunidade local.


Amankora Punakha

Os cinco lodges Amankora (nome deles no Butão) se estendem ao longo dos vales de Paro, Thimphu, Punakha, Gangtey e Bumthang. As suítes de cada lodge contrastam elementos rústicos e vanguardistas, que se destacam no uso abundante de madeira, integrando a arquitetura à paisagem local harmoniosamente. Cada um desses lodges conta com um restaurante próprio, exclusivo, que serve culinárias variadas, mas mantém pratos típicos butaneses à mesa, numa combinação interessante de referências gastronômicas que cria uma identidade personalíssima.


Thimphu

Capital do Butão e centro do governo, religião e comércio, Thimphu apresenta uma combinação única de desenvolvimento e herança histórica. É uma cidade tranquila, a qual se assemelha a uma vila. Além de atrativos históricos, Thimphu oferece agradáveis paisagens naturais devido a sua privilegiada geografia. Fica a 2.400 metros de altitude, em um vale fértil e verdejante.

Terraço no Amankora Thimphu

Paro

Paro é a porta de entrada para o Butão, uma vez que o único aeroporto do país está situado lá. Sua pequena população vive em casas espalhadas por todo o vale. A cidade foi construída em meio a uma floresta de pinhos e promete ser uma experiência encantadora para seus visitantes. Além dos atrativos naturais, culturais e religiosos, exibe uma paisagem bucólica com curiosas casas típicas.

Amankora Paro


Bumthang

Bumthang é o coração religioso do Butão e lar de 29 templos e mosteiros. Essa região consiste em quatro vales principais: Ura, Jakkar, Choekar e Tang. Os vales são reconhecidos pelos seus diversos campos de trigo, arroz e batatas, com vistas sempre diferentes e surpreendentes. Próximo a eles está Trongsa, uma cidade cênica que está localizada em uma encosta íngreme, ponto estratégico para vislumbrar os vales. O Vale Choekhar é famoso por suas casas industriais que produzem produtos altamente procurados como a manteiga, os queijos Gouda e Emmenthal, mel e destilados de frutas.


Amankora Bumthang

Gangtey

Gangtey está situada no Vale Phobjikha, que faz parte do Parque Nacional das Montanhas Negras, considerado um dos destinos mais bonitos do Butão e um dos mais importantes santuários de vida selvagem do país. É a casa das aves de pescoço negro, as black necked cranes, que durante o inverno migram do Tibete devido ao frio rigoroso. Localizado próximo ao centro do Butão, a região possui várias trilhas naturais, além de locais religiosos importantes como o Gangtey Goempa Monastery no alto de um vale de onde é possível ter vistas excepcionais.


Caminho para Gangtey

Punakha

Localizada entre os rios Pho Chuu e Mo Chuu e próxima à parte leste do Himalaia, Punakha, a antiga capital do Butão, tem a atmosfera serena de uma cidade que carrega lembranças de um passado real. Punakha é famosa por seu clima acolhedor, onde árvores frutíferas prosperam sob a visão das neves das imensas montanhas. Aqui, a maioria dos passeios e visitas é feita a pé, uma vez que a cidade propicia uma incrível sensação de quietude aos que a exploram.

Amankora Punakha

Quando ir

Você pode visitar o Butão em qualquer época do ano.

Primavera

Entre março e maio, a temporada de renovação mostra o que há de mais belo no Butão, quando a paisagem do Himalaia ganha vida com cores. As caminhadas ao redor de Gangtey são animadas por florestas de rododendros resplandecentes, enquanto os jacarandás ao redor de Punkaha Dzong explodem em nuvens roxas de flores. O agradável calor do ar é perfeito para piqueniques, e os rios ao redor de Punakha - reabastecidos pelo degelo do inverno passado - oferecem condições perfeitas para rafting.

Verão

De junho a agosto, o verão butanês traz céus de safira, temperaturas amenas e chuvas refrescantes. É o momento ideal para explorar os monastérios históricos e dzongs espalhados pelos vales, ou para embarcar em viagens de bem-estar pessoal em um retiro espiritual enriquecido com ioga. A terra fica exuberante e verde, e uma cornucópia de ingredientes raros entram na estação, incluindo os lendários pimentões verdes do Butão - disponíveis apenas por alguns meses - tornando o verão ideal para experiências gastronômicas.



Outono

Mais frio e com céu mais claro, mas ainda ameno e seco, os meses do outono de setembro a novembro trazem condições privilegiadas para caminhadas e ciclismo nas trilhas de montanha do Butão. A estação é amiga do fotógrafo, enquanto os salgueiros perdem suas folhas douradas e a mudança de luz projeta os cumes do Himalaia - incluindo alguns dos picos não escalados mais altos do mundo - em nítido relevo. O outono também é uma estação de festivais, como a celebração anual do retorno do pássaro amado do reino, o pássaro de pescoço preto, ameaçado de extinção, que retorna ao inverno no Vale Phobjikha todo mês de novembro.

Inverno

Dezembro em diante traz ar fresco, céus limpos e picos cobertos de neve para o reino das montanhas, e as noites de inverno são caracterizadas por um panorama espetacular de estrelas. Embora a temperatura caia após o anoitecer, os dias ainda são quentes e agradáveis - condições ideais para caminhadas e exploração dos distritos ocidentais de Paro, Punakha e Thimphu no Butão.

Do Aman Gangtey, o Vale Phobjikha é especialmente encantador nesta temporada, já que as planícies onduladas e as terras com arbustos de bambu são povoadas por guindastes empoleirados e pastores de iaques nômades conduzem seu gado das montanhas nevadas.

Alma e Espírito

A filosofia budista atinge todos os cantos do Reino do Butão, infundindo cada dia um profundo senso de espiritualidade e sereno. Os hotéis Amankora oferecem aos hóspedes a oportunidade de explorar o caráter comovente do Butão, por meio de experiências culturais imersivas e encontros pessoais em dzongs, mosteiros e outros locais sagrados.

Os hóspedes Aman têm acesso incomparável à herança budista do Butão por meio de visitas a monastérios e caminhadas guiadas a templos antigos. Preso a uma rocha íngreme 900 metros acima do fundo do vale, e acessado a partir do Aman Paro, o mais famoso deles é o lendário mosteiro Tiger’s Nest (Ninho do Tigre) do século 7, mas cada Lodge atua como um portal para seus próprios tesouros espirituais. Explore Punakha Dzong, uma das mais antigas e belas do país; o colorido Gangtey Goemba do século 17; e, perto de Thimphu, Pangri Zampa, a escola de astrologia do século 16, e Cheri Goemba nas proximidades.


Explore o Buda Dordenma, uma das estátuas de Buda mais altas do mundo

Não muito longe do Amankora's Lodge em Thimphu, o imponente monumento de ouro foi concluído em 2015, cumprindo uma antiga profecia.


Aprenda atenção plena e meditação com monges visitantes

Os hotéis Amankora estão intimamente ligados à vida cotidiana dos mosteiros vizinhos, e as oportunidades são abundantes para os monges e convidados interagirem e aprenderem uns com os outros.

No Amankora Bumthang, os viajantes são convidados a se juntar aos jovens acólitos de Sey Lhakhang em oração. Monges visitantes frequentemente conduzem eventos, incluindo palestras sobre budismo do lama Mynak Trulku no Amankora Thimphu, e aulas de meditação com alguns dos mais reverenciados líderes espirituais do Butão.


Pedale

Estradas em vales pontilhados por vilarejos, caminhos sinuosos na floresta e trilhas nas montanhas acidentadas fornecem terreno inigualável para aventuras de ciclismo e passeios de bicicleta estão disponíveis em todos os hotéis Amankora. Todo mês de setembro, ciclistas de todo o mundo se reúnem no Butão para a Volta do Dragão - uma corrida de mountain bike de 268 km intensamente desafiadora por algumas das paisagens mais dramáticas do Himalaia.

O tiro com arco, o esporte nacional

O arco e flecha - ou 'Da' - é o esporte oficial do Butão há cinco décadas, mas a importância do arco e da flecha é celebrada nos mitos do país há milhares de anos. Junte-se ao público sempre apaixonado em um dos torneios de arco e flecha frequentes no calendário do festival ou organize uma aula pessoal no Amankora Thimphu e aprenda a dominar o arco.

Faça Rafting nos rios gêmeos Pho Chu e Mo Chu

Traduzindo literalmente como 'Masculino' e Feminino ', os dois rios fluem através de desfiladeiros rochosos e planícies imaculadas para se encontrar em Punakha Dzong. Os hotéis Amankora organizam excursões de rafting em ambos, recompensando os aventureiros com corredeiras desafiadoras e vistas inesquecíveis dos vales.

Trilhas em mundo selvagem de espetáculo natural e cores vivas

Embarque em uma caminhada guiada por trilhas na floresta, cruze pontes de corda adornadas com bandeiras de oração e siga caminhos sinuosos que se apegam às vertiginosas encostas das montanhas do Himalaia. Encontre iaques pastando nas planícies de Gangtey, lar de inverno do pássaro de pescoço preto, e descubra antigas florestas de rododendros, vivas com as cores da primavera. De caminhadas curtas a antigos mosteiros a excursões de vários dias, acampando durante a noite, a maneira mais aventureira de descobrir o Butão é a pé.



Bem-estar e Spa

A serenidade da paisagem montanhosa torna o Butão o destino ideal para refrescar e rejuvenescer o corpo e a mente, com terapias à base de plantas e ervas do Himalaia e rituais de bem-estar tradicionais disponíveis nos cinco spas com aroma de cedro da Amankora.


Amankora Paro

Tratamento com ervas e banhos de pedras quentes

Conhecida no Butão como khempa, a erva Artemísia é um analgésico natural, usado como um complemento curativo ao ritual de banho tradicional do Himalaia. A uma curta caminhada de Aman Gangtey, no topo de uma colina acima do pitoresco Vale Phobjikha, uma cabana de madeira com portas de bambu abriga o banho de pedra quente do Aman. Mergulhe à luz de velas em águas ricas em minerais e raminhos flutuantes de khempa, e desfrute de uma cidra de maçã quente ao pôr do sol.

Movimente-se e medite

O dia no Amankora começa com ioga matinal nos estúdios dedicados com vista para a montanha. Os Lodges também executam um programa de retiros de bem-estar com foco em ioga e os monges visitam frequentemente os mosteiros do Butão para conduzir sessões de meditação, compartilhar seus ensinamentos e oferecer bênçãos aos hóspedes do Lodge.


Terapias de spa enraizadas na natureza e tradição do Himalaia

Cada um dos cinco Lodges do Amankora incorpora um Aman Spa, oferecendo uma ampla gama de terapias enraizadas na natureza e nas tradições de bem-estar do Himalaia. Esfoliantes e massagens incorporam práticas medicinais tibetanas e ervas selvagens da montanha, e experiências sensoriais de base, como bandeira de oração e banhos na floresta, são inspiradas por antigos ensinamentos budistas.

Terapia florestal

Inspirado por antigos ensinamentos budistas, as experiências sensoriais de base dão aos hóspedes a oportunidade de fazer uma pausa, concentrando-se apenas em ouvir, respirar e sentir. O banho na floresta envolve caminhadas tranquilas pela natureza intocada, absorvendo o ambiente curativo da floresta. Uma parte icônica da cultura do Butão por séculos, as bandeiras de oração são montadas para incentivar a felicidade e a prosperidade. A visão e os sons das bandeiras coloridas flutuando na encosta da montanha criam um ponto focal para a meditação transformadora.

E aí o que achou do Butão? Realize sua viagem por nosso intermédio que além de toda assessoria da viagem, você receberá como cortesia uma consultoria de 01 hora na área do bem-estar.

Artesanato local

  • Capital do Butão: Thimphu

  • População: 771 mil

  • Língua oficial: Butanês

  • Fuso horário: GMT +6

  • Código telefónico internacional: +975

  • Fronteiras terrestres: China, Índia, Tibete

  • Aeroporto Internacional: Paro

  • Melhores opções de voos saindo do Brasil: Emirates, Qatar

  • Conheça mais sobre onde se hospedar em nossa página


8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo